UNIFEOB sedia evento mundial de desenvolvimento de games

UNIFEOB sedia evento mundial de desenvolvimento de games

Mais de 70 pessoas participaram da Global Game Jam

O final de semana foi movimentado no Campus Mantiqueira: 72 entusiastas e desenvolvedores de games profissionais se reuniram na UNIFEOB, da noite de sexta, 31 de janeiro, à tarde de domingo, 2 de fevereiro. Foi a 2ª edição da Global Game Jam (GGJ) em São João da Boa Vista, um evento mundial de fomento ao desenvolvimento de jogos. O desafio era criar algo totalmente novo para as mais diversas plataformas (PC, mobile, realidade virtual, tabuleiro, cartas e até games ao ar livre) em apenas 48 horas. Para isso, os participantes se dividiram em equipes e uniram diferentes talentos. Ao fim, 10 novos produtos foram desenvolvidos.

“Nós tivemos designers, desenvolvedores, programadores, músicos, roteiristas, entre outros”, lista o coordenador de Projetos de Tecnologia, Rodrigo Marudi, organizador da GGJ em São João da Boa Vista. “Tivemos inclusive empresas participando. Elas buscam esse tipo de vivência para testar ou desenvolver competências em seus colaboradores, porque aqui você está sob pressão, tem que gerar ideias e se entrosar com a equipe, fazer com que todo mundo produza algo legal num tempo curto. É difícil, mas a experiência vale muito a pena”.

Estrutura diferenciada

A UNIFEOB contribuiu com a estrutura inovadora do Prédio F, onde o curso de Arquitetura e Urbanismo é ministrado. “Sem a instituição, não seria possível. Precisávamos de um local seguro, com acessibilidade, lugares para descanso com silêncio, banheiros adaptados e para diversidade. São normas mundiais para esse evento”, explica Marudi. “Tivemos apoio do Patrimônio e dos cursos de Fisioterapia e Educação Física, que interagiram com o pessoal. Na área técnica, o TI proporcionou uma rede de internet super-rápida para usarmos, além de equipamentos e computadores”, relata. “É difícil encontrar essa infraestrutura em outros lugares. Aqui eles tiveram tudo o que precisavam à mão”.

Outro destaque da GGJ em São João foi a total isenção de taxas. “Em outros lugares, cobra-se por alimentação e outras coisas. A gente conseguiu fazer um evento muito inclusivo, em que todos puderam participar”, pondera o organizador. “Com nossos parceiros, conseguimos apresentações musicais, alimentação, café, brindes e pizza para o pessoal”.

“Muito café”

Para dar conta dessa maratona, os desenvolvedores precisam de combustível e bastante força de vontade. “Não é fácil. O sono bate, cansaço físico e mental. É esgotante olhar para uma tela por 48 horas e ela sempre brilhando”, conta o musicista Marcos Daniel. Ele também participou do primeiro evento em 2019. “Daquela vez, eu vim sozinho e acabei fazendo muitas amizades. Inclusive chamei gente que fez parte da minha equipe no ano passado para colaborar nessa edição”.

Alice Merige estuda História da Arte e veio contribuir para o desenvolvimento de um jogo de interpretação (RPG) de mesa. “Eu sempre fui atraída por essa área. Quando me apresentaram a proposta, achei muito interessante, tanto para amadores quanto para profissionais do ramo”, afirma. “Especialmente por estarmos no interior, acho que é importante unir os diversos grupos de pessoas que gostam do mesmo assunto e acabam não se conhecendo pessoalmente”, diz. Ela também revela a principal ferramenta para manter a criatividade: “muito café!”

“Eu acho a ideia fantástica, nunca esperei algo do gênero”, relata o desenvolvedor web João Pedro Nascimento. “Usufruir dos recursos de um Centro Universitário para exercitar a criatividade de verdade, em grupo de amigos, desenvolver novos jogos, programas e meios para se divertir. São coisas reais, físicas, colocar isso em prática é muito legal”.

Global Game Jam

A GGJ é um evento internacional de incentivo à criatividade, colaboração e experimentação. Em cada local, os participantes se reúnem para desenvolver ideias e formar pequenos grupos. Então, procuram desenvolver jogos criativos e inovadores para apresentá-los aos colegas da comunidade global – tudo em 48 horas. Desde 2013, a gestão é da Global Game Jam Incorporated.

A edição de 2020 contou com 46.710 participantes no mundo todo. Segundo Marudi, algumas sedes chegaram a receber mais de 1,5 mil participantes na maratona de muita criatividade e inovação. “O público é carente desse tipo de evento. Aqui há pessoas de Ribeirão Preto, Andradas, Campestre, Águas da Prata, Aguaí, Poços de Caldas e Vargem grande do Sul. Não existem encontros como esse na região”.