Estudantes de Psicologia da Unifeob lançam projeto “Palavras que Abraçam”

Estudantes de Psicologia da Unifeob lançam projeto “Palavras que Abraçam”

Qualquer pessoa pode participar, basta escrever uma mensagem de apoio aos profissionais de saúde

Para expressar gratidão a todos os profissionais de saúde que hoje se arriscam diariamente para combater a pandemia de coronavírus e incentivá-los a continuar o bom trabalho realizado, estudantes do curso de Psicologia da Unifeob criaram uma iniciativa especial de motivação: “Palavras que Abraçam”. Na impossibilidade de efetivamente abraçá-los, diversas mensagens calorosas de agradecimento lhes são enviadas.

Siga os perfis relacionados à iniciativa no Instagram: @palavrasqueabracam_psicologia e @unihappy.unifeob

A ideia nasceu de uma conversa entre a universitária Rosimeire Oliveira com a psicóloga Tamires Camargo, colaboradora da Unifeob, que lhe mostrou uma iniciativa semelhante realizada na cidade de São Paulo. Elas se empolgaram com a possibilidade de fazer algo do tipo na região de São João da Boa Vista e o projeto foi elaborado com o aval da coordenadora Fabiana Bozelli. “As cartas estão sendo escritas desde a semana passada, já devemos ter em torno de quinze mensagens”, conta Rosimeire. Para participar, basta mandar o texto ou ilustração para o e-mail oficial da campanha: psicologia.unifeob@gmail.com. “Qualquer pessoa pode contribuir enviando cartas de carinho, encorajamento e força para esses profissionais”.

O conteúdo é totalmente monitorado pelas estudantes envolvidas no projeto. Isso garante que nenhuma mensagem imprópria seja passada adiante. “As pessoas são responsáveis pelos sentimentos e pensamentos que vão transmitir, é bem subjetivo. Mas a gente sempre espera que venha o melhor de cada um”, pondera a embaixadora de Psicologia, Vitória Verdili. A iniciativa, inclusive, já recebeu retornos positivos por parte das instituições de saúde. “Antes de iniciar o projeto, conversamos com alguns hospitais. Eles adoraram a ideia, ficaram muito animados. Com certeza vão ficar mais motivados e agradecidos, assim como a gente”.

Divulgação

Para promover a ação, Rosimeire e Vitória se valem da propaganda boca a boca, aplicativos de mensagens e redes sociais. Dois perfis no Instagram hoje divulgam a campanha: @palavrasqueabracam_psicologia, com conteúdos específicos da iniciativa; e @unihappy.unifeob, perfil criado por estudantes da instituição com conteúdo proveniente da Escola do Bem-Estar, conjunto de oito cursos da Unifeob relacionados a saúde física e mental, com sede no Clube do Palmeiras.

“Qualquer pessoa pode contribuir enviando cartas de carinho, encorajamento e força para esses profissionais”. diz a estudante de Psicologia, Rosimeire Oliveira

Cartas à mão

O objetivo é conscientizar a todos, inclusive crianças. “A gente está recebendo cartas, pequenas mensagens, poesias, desenhos. Tudo isso também vai ser entregue”, afirma Rosimeire. Ela é gestora de duas escolas de educação infantil em São João da Boa Vista e uma das professoras com quem trabalha, Vanessa Roquetto, decidiu participar da “Palavras que Abraçam” do jeito tradicional – com uma carta escrita à mão, ilustrada por sua filha Sarah, de cinco anos. “Eu optei por utilizar papel e caneta porque são recursos que eu utilizo muito no meu dia a dia; no meu trabalho, para minhas anotações diárias. Achei mais prático dessa maneira”, relata. “A iniciativa da turma de Psicologia da Unifeob em promover esse projeto é excelente. É importante encontrar formas para demonstrar nossa gratidão a todo esse pessoal que deixa em casa suas famílias e enfrenta os seus medos para salvar vidas. Eles fazem toda a diferença”.

Apesar da pouca idade, Sarah demonstra sensibilidade e conhecimento da situação da pandemia. Em sua ilustração, retratou o cotidiano dos profissionais de saúde. “Eu desenhei os médicos cuidando das pessoas. Fiz uma na cama, a outra está no elevador para chegar lá onde estão as pessoas doentes. A outra está com uma flor, levantando. Tem muitas pessoas, enfermeiras e médicos”, conta a garota, que entende a importância desses profissionais. “As enfermeiras e os médicos cuidam das pessoas para ter saúde. Assim, elas podem melhorar e ficar em paz com a família em casa”.

Em destaque, Vanessa Roquetto ao redigir uma das cartas; abaixo, a idealizadora do projeto, Rosimeire Oliveira, e Sarah ao ilustrar uma mensagem.