Mais de mil máscaras para profissionais de saúde são produzidas por estudante na Unifeob

Mais de mil máscaras para profissionais de saúde são produzidas por estudante na Unifeob

Flávio Diaferia cursa Arquitetura e Urbanismo e está utilizando a Maquetaria para a produção das máscaras que serão doadas

Em uma crise, toda ajuda é mais do que bem-vinda. Diante da crescente procura por máscaras capazes de proteger profissionais de saúde do coronavírus, o estudante de Arquitetura e Urbanismo, Flávio Diaferia, de Aguaí, se prontificou a colaborar ativamente. Desde a manhã de quinta-feira (26), ele utiliza a Maquetaria da Unifeob para suprir a necessidade da região por esse material. “A ideia surgiu por causa de uma reportagem que vi. A UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) estava procurando voluntários para imprimir a máscara em 3D, então nos prontificamos a fazer”.

A partir da próxima semana, serão doadas 220 unidades para o município de Aguaí, 365 para São João da Boa Vista, 80 para Águas da Prata, 170 para Poços de Caldas e 200 para a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), que hoje mobiliza uma força tarefa para realizar testes de diagnóstico de coronavírus. Flávio diz que tudo o que quer é ajudar com o que estiver ao seu alcance. “Temos que ter consciência do que está acontecendo e nos colocarmos à disposição da sociedade. Assim, venceremos essa guerra”.

Produção

Flávio é diretor executivo da Multiway, empresa de soluções de infraestrutura para datacenter, telecom e elétrica. Quando ele e sua equipe finalizaram a primeira unidade, os engenheiros informaram que levaria cerca de 3 horas para a fabricação de cada uma. Ao utilizar recursos próprios e aprimorar o processo, conseguiram reduzir o tempo para 2,5 minutos por máscara.  “Como não temos a máquina de corte a laser, pedimos para usar a da Maquetaria da Unifeob, que nos auxiliou”, conta.

“Temos que ter consciência do que está acontecendo e nos colocarmos à disposição da sociedade”, afirma o estudante Flávio Diaferia.

Maquetaria da Unifeob

O coordenador de Arquitetura e Urbanismo da Unifeob, Ricardo Ciaco, não hesitou em oferecer o auxílio. “Nós estávamos com o equipamento parado por conta da quarentena. Por que não ajudar? O Flávio não tinha ninguém que fizesse o corte a laser desse acetato no formato certo, com a precisão dos furos e tudo mais”, relata. “Entrei em contato com o Nicolas e com o Otto, os técnicos da Maquetaria que estavam em home office, e eles toparam imediatamente”.

A máscara é um protetor facial usado por profissionais da saúde. Ricardo explica que o processo de produção é simples. “É pegar o projeto, adequar o nosso equipamento a ele, colocar o material e cortar. Eles estão finalizando aproximadamente quatrocentas máscaras por dia”. O coordenador ressalta a importância de ajudar uns aos outros nesse momento de crise. “A Unifeob está fazendo isso em diversas frentes, essa é apenas mais uma delas”.