Escola de Negócios da Unifeob realiza a Semana Acadêmica Engrene 2020

Escola de Negócios da Unifeob realiza a Semana Acadêmica Engrene 2020

O evento contou com 100% da programação virtualizada

Na última semana, a Escola de Negócios da Unifeob promoveu a Semana Acadêmica Engrene 2020. Foram três dias de trocas de experiências e insights, com palestras e debates para os estudantes da área. “Mesmo em tempos de isolamento social, conseguimos nos reunir por meio da tecnologia e seguir com a programação da Engrene, que sempre acrescenta muito conhecimento, networking e compartilhamento de experiências”, afirma a estudante de Administração, Gabrielle Cardoso.

O evento aconteceu de 6 a 8 de maio. Entre os assuntos abordados, estavam novas ferramentas tecnológicas, comportamento em tempos difíceis, reinvenção da forma de trabalhar, empreendedorismo 4.0, inovação nos negócios e mesas redondas. “Isso movimenta a imaginação das pessoas, traz um cenário de reflexão, aumenta o repertório dos profissionais, faz com que as pessoas consigam ter ideias, percepções e fiquem motivadas frente a desafios”, pondera o coordenador da Escola de Negócios, Dirceu Batista. “O intuito principal é contribuir significativamente para a formação dos nossos estudantes. Paralelo a isso, fazer uma contribuição para os profissionais da área que não são alunos e também participam do evento”.

“Com esse espírito, o profissional irá se adaptar de maneira mais fácil às situações do mundo e criar algo escalável na sociedade”, diz o empreendendor Eduardo Marques

Visão profissional

Um dos palestrantes convidados foi o diretor-geral da startup WI7H Solutions, Eduardo Marques, que trabalha com tecnologia e inovação há 10 anos. “Foi uma experiência incrível. Lido diariamente com o meio digital, mas esse foi o primeiro evento do tipo do qual participei. Foi muito bacana”, declara. Para ele, foi uma oportunidade de trazer o pensamento empreendedor aos estudantes. “Com esse espírito, o profissional irá se adaptar de maneira mais fácil às situações do mundo e criar algo escalável na sociedade”.

A avaliação de quem participou foi positiva. “Consegui perceber que a internet está aí, a nosso favor, e podemos promover ações que impactem positivamente o coletivo, dividindo nossos conhecimentos e seguindo uma vertente de empreendedorismo”, conclui Gabrielle.