Entrevista – Biomédico: uma profissão em alta

Entrevista – Biomédico: uma profissão em alta

Cíntia de Lima Rossi é coordenadora dos cursos de Biomedicina e Ciências Biológicas da Unifeob. Em meio à situação de pandemia e isolamento social, ela fala sobre a importância do biomédico no combate ao coronavírus e outras ameaças biológicas, do mercado aquecido para essa profissão, características do curso e estrutura disponibilizada pela Unifeob para os estudantes.

Vivemos hoje uma pandemia causada por um vírus que sofreu mutações e mudou radicalmente o modo de viver das pessoas ao redor do mundo. Qual a atuação do biomédico nesse panorama?

A pandemia trouxe luz a uma série de questionamentos com relação ao modo de vida adotado anteriormente pelas pessoas: alimentação, trabalho, até mesmo questões sanitárias envolvendo alimentos de origem animal, já que diversas hipóteses pairam sobre a transferência do vírus de animais considerados como reservatório para o homem, muito embora várias pessoas tenham se contaminado independentemente disso.

Como profissional da área da saúde, o biomédico tem muito a contribuir no panorama epidêmico instalado no mundo todo em diversas áreas. Uma delas é a realização dos testes necessários para identificar possíveis casos de Covid-19, como os considerados “padrão ouro” (análise por RT-PCR* de uma amostra do código genético do vírus por meio do raspado da nasofaringe) e os que analisam diferentes anticorpos que surgem durante a evolução da doença.

Outra responsabilidade é a pesquisa do código genético do vírus que circula pelo Brasil. Por se tratar de uma doença viral, seu agente patogênico sofre várias mutações – conhecer o genoma é de suma importância para estabelecer as características epidemiológicas da doença causada e como é seu padrão de comportamento em nosso território, com as particularidades de microclima e ambiente.

Você é biomédico, está cursando Biomedicina ou tem interesse pela área? Então, compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

O biomédico atua no auxílio de pesquisas relacionadas à fisiopatologia da doença, caracterizada pelo conjunto de sinais e sintomas clínicos que os pacientes apresentam. A partir de tais aspectos, o biomédico pode contribuir com a equipe médica para determinar protocolos de tratamentos. Por exemplo: inicialmente se pensava que a doença acometia os pulmões com insuficiência respiratória; em poucos dias, pôde-se observar que o vírus também promove alterações circulatórias em diversos órgãos, principalmente os pulmões. Há também a importante contribuição em pesquisas de vacinas por meio de métodos biotecnológicos.

Que estrutura é oferecida pela Unifeob para o estudante que decide cursar Biomedicina?

O curso de Biomedicina da Unifeob conta com equipamentos e aparelhos modernos que podem ser utilizados inclusive no diagnóstico de Covid-19 e demais patologias que necessitem exames laboratoriais para investigação médica. Pode-se realizar várias pesquisas e aulas em equipamentos de biologia molecular e biotecnologia, além de ter acesso a toda a infraestrutura para as aulas dos módulos iniciais – base necessária para que o estudante se torne protagonista do próprio aprendizado, ligando a teoria à prática profissional.

Como está o mercado hoje para o profissional de Biomedicina?

O mercado necessita cada vez mais de profissionais que atuem de forma versátil em diversas linhas na área da saúde. Ainda tomando como exemplo o Covid-19, o biomédico trabalha na linha de frente, realizando o diagnóstico mediante exames laboratoriais e imagiologia de pessoas infectadas. Também está presente nas pesquisas de caráter epidêmico, o que também acontece em relação ao perfil de atuação em outras patologias.

“O biomédico tem muito a contribuir no panorama epidêmico instalado no mundo todo em diversas áreas”, diz a coordenadora de Biomedicina, Cíntia Rossi

Além dessas áreas, o biomédico pode trabalhar como perito forense e ambiental, realizando análises químicas, toxicológicas e biológicas envolvendo a descoberta de crimes; e na estética, com a aplicação de diversos tratamentos do segmento.

Como são as aulas de Biomedicina na Unifeob? A parte prática se faz presente desde o começo das aulas?

Sim, desde o início o curso de Biomedicina conta com aulas práticas, trabalhos e projeto integrados voltados ao exercício da atividade profissional. São aulas dinâmicas, com metodologias ativas que propiciam ao estudante ser o ponto focal do processo de ensino-aprendizagem. Com frequência, temos aulas de campo, visitas técnicas, oficinas práticas e palestras direcionadas ao mercado de trabalho. Visamos o desenvolvimento da carreira e do empreendedorismo voltados à bioprospecção.

*Transcrição Reversa Seguida de Reação em Cadeia da Polimerase, do inglês Reverse Transcription Polymerase Chain Reaction, é um método laboratorial usado desde 1983, aplicado em diversas áreas da pesquisa e do diagnóstico, como detecção de vírus diversos.