Matrículas na Unifeob superam média nacional

Matrículas na Unifeob superam média nacional

O resultado é fruto das atitudes corretas frente à pandemia e excelente avaliação do MEC

Com a situação econômica delicada provocada pela pandemia de Covid-19 e o país em recessão técnica, a procura pelo ensino superior no Brasil em 2020 caiu 56% segundo dados do Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo (Semesp) publicados em reportagem do jornal O Estado de S. Paulo. A estimativa é que 3,2 milhões de pessoas inclusive abandonem o sonho da graduação até o fim do ano – 10% a mais do que a evasão registrada anteriormente.

Qualifique-se já para o mercado de trabalho. Faça o curso superior dos seus sonhos aqui na Unifeob!

Na contramão dessa onda generalizada de pessimismo, a Unifeob se destaca não só por ter virtualizado sua rotina presencial instantaneamente, como também promovido ações para auxiliar entidades assistenciais ao longo da crise e estar bem acima da quantidade relativa de matrículas em instituições semelhantes no Brasil. “Mesmo em tempos desafiadores, conseguimos um resultado 26% superior à média nacional deste ano em relação ao mesmo período em 2019. É um rendimento excelente”, afirma a gestora da área Comercial da Unifeob, Tamiris Cantos

“Todos querem entender como a Unifeob conseguiu, em um espaço de tempo tão curto, virtualizar suas atividades acadêmicas e aulas”, explica o reitor João Otávio Bastos Junqueira. “Nós estamos focados no estudante, em sua aprendizagem e na experiência; em resumo, na manutenção do sonho de estudar de cada um que nos procurou”, assegura.

Torne-se um especialista na sua área: faça Pós-Graduação Unifeob e seja altamente valorizado no mercado!

Para o pró-reitor acadêmico José Roberto Junqueira, as dificuldades tornaram a Unifeob mais forte e relevante. “Nosso primeiro semestre teve muitos desafios, mas sobretudo muita aprendizagem e superação. Hoje temos universitários de várias cidades da região e nosso foco continua sendo a segurança e saúde de todos”, relata. “A base é respeitá-los, estimular o protagonismo e criar ambientes e situações de aprendizagem significativas”

Diferenciais estratégicos do melhor Centro Universitário da região

O Projeto Pedagógico Institucional, a gigantesca estrutura de tecnologia da informação (TI) e parcerias com as multinacionais Google, Amazon e Microsoft foram elementos-chave para o êxito. “Com este posicionamento e esta atitude, os estudantes e profissionais do Unifeob estarão seguros e aptos para a retomada do desenvolvimento socioeconômico da região e do nosso país. Ninguém pode parar”,  indica a diretora acadêmica Ana Flávia Carvalho.

Para ela, a mudança de comportamento das pessoas durante a pandemia despertou o interesse de se qualificar para a reabertura do mercado. “Durante o isolamento, os estudantes aproveitaram as oportunidades que surgiram, tanto na graduação quanto em diferentes iniciativas motivacionais de desenvolvimento de habilidades técnicas e atitudinais oferecidas pela Unifeob”.

“Nós estamos focados no estudante, em sua aprendizagem e na experiência; em resumo, na manutenção do sonho de estudar de cada um que nos procurou”, diz o reitor da Unifeob, João Otávio Bastos Junqueira

Entre os motivos para o sucesso também estão o tradicional interesse em cursar o ensino superior na Unifeob devido ao seu reconhecimento como melhor Centro Universitário da região de acordo com a avaliação mais recente do Ministério da Educação (MEC) e as condições especiais concedidas aos vestibulandos no Vestibular de Meio do Ano: desde a possibilidade de agendar o processo seletivo e realizá-lo on-line até descontos para ex-alunos, parentes de estudantes, convênios com empresas, transferências e diversas opções de financiamento.

“Desde o começo, queríamos que todos tivessem a segurança de que o calendário acadêmico seria mantido, sempre em cumprimento às leis vigentes. Também desenvolvemos um programa de financiamento institucional emergencial. Cada caso é avaliado para verificarmos como podemos ajudar. É mais uma ferramenta de garantia e acolhimento aos nossos estudantes”, explica a coordenadora de operações acadêmicas Michele Colla. “E, claro, fazemos uma avaliação diária de tudo o que está sendo feito para nos aprimorarmos cada vez mais”.