E a vida: só exige competências técnicas?