Professora da Unifeob consegue testes rápidos de coronavírus para São João

Professora da Unifeob consegue testes rápidos de coronavírus para São João

O laboratório responsável foi chancelado pelo Instituto Adolfo Lutz

Por intermédio de uma professora da Unifeob, São João da Boa Vista adquiriu um pacote com cerca de 200 testes rápidos de Covid-19 a preço de custo do Laboratório de Biologia Molecular da FZEA/USP (Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da Universidade de São Paulo) de Pirassununga. Outras cidades da região também enviarão amostras para a instituição, cuja capacidade diária é de aproximadamente 120 análises. A atividade começa a partir de sexta-feira, 10 de abril. 

A aquisição foi fruto de uma feliz coincidência: a Dra. Vanessa Pontes, que leciona para turmas de Ciências Biológicas e Psicologia na Unifeob, trabalha no GDTI (Grupo de Desenvolvimento de Tecnologias Inovadoras), em Pirassununga, ao lado do laboratório responsável pelos testes. “Apenas tomei a iniciativa de repassar a informação que eu tinha por ser pós-doutoranda na USP, visto que sabia que São João estava precisando”, conta. “Obter esses testes vai ajudar muito. Os resultados dos exames estavam demorando de 15 a 20 dias para sair; agora as pessoas só vão precisar esperar até dois dias”.

Exame

O exame é realizado por meio da técnica RT-PCR (sigla em inglês para Transcrição Reversa de Reação em Cadeia de Polimerase). O Laboratório de Biologia Molecular da FZEA/USP é coordenado pelo pesquisador Dr. Heidge Fukumasu, Médico Veterinário doutor em Patologia Experimental, e outros pesquisadores da USP. “Ele tem a chancela do Instituto Adolfo Lutz, portanto os exames feitos são aceitos e altamente confiáveis”, explica Vanessa.

Acesse a página da Unifeob com atualizações diárias, informações, notícias, vídeos e podcasts sobre a pandemia de coronavírus: unifeob.edu.br/coronavirus

A ideia de solicitar os testes nasceu quando a professora teve contato com o boletim sobre a pandemia de coronavírus. O informativo é divulgado diariamente pela Unifeob, Prefeitura de São João da Boa Vista e outros meios de comunicação. “Estava em casa, de quarentena, montando minhas aulas, quando vi os boletins com os casos de São João. Resolvi procurar a administração municipal e perguntar se a cidade tinha interesse” relembra. “De pronto, o vice-prefeito Dr. Ademir Boaventura aceitou. Então fiz a ponte entre a USP e a Prefeitura de São João da Boa Vista. Fiquei muito feliz de poder ajudar”.