Curso de Medicina Veterinária realiza o 1º EREB

Curso de Medicina Veterinária realiza o 1º EREB

O EREB – Encontro de Reprodução em Equinos e Bovinos é um evento realizado pelos universitários do Curso de Medicina Veterinária da UNIFEOB. Esta primeira edição será nos dias 2 e 3 de junho, no Centro Cultural do Centro Universitário. A proposta do EREB surgiu após a organização do 1º Simpósio de Bovinocultura de Leite.

A programação do encontro conta com a divisão de salas para temas em reprodução de equinos e bovinos, com palestras ministradas por renomados e atuantes profissionais.

Alguns dos temas a serem discutidos serão: transferência de embriões, inseminação artificial, exame andrológico e maximização da eficácia reprodutiva.

“Esse evento oferece uma ótima oportunidade de aprendizado aos nossos estudantes e produtores da região, contribuindo para a criação de network com representantes de empresas do seguimento e oportunidades de estágios”, enfoca a coordenadora do Curso professora Cristiane Figueiredo.

CENÁRIO BRASILEIRO

Os produtores brasileiros têm grandes desafios pela frente. O aumento de produtividade, a redução dos custos de produção e a melhoria de qualidade dos produtos finais são questões que precisam ser focadas por todos os agentes da cadeia produtiva.

As transformações socioeconômicas verificadas nos cenários nacional e internacional levaram o setor agroindustrial brasileiro a buscar uma reestruturação que permita alcançar níveis de eficiência para garantia de sua competitividade e sustentabilidade. A organização da informação e o acesso aos acervos tecnológicos são essenciais para a orientação dos produtores, visando capacitá-los para a gestão empresarial de sua unidade de produção e, assim, permitir o alcance de maiores níveis de produtividade e qualidade.

A indústria equina mundial exerce importante papel como fonte geradora de renda e empregos. No Brasil, o rebanho efetivo é de cerca de 8,5 milhões de equinos e 1,2 milhões de muares e jumentos. A equideocultura no país é responsável pela geração de 600 mil empregos diretos e 3,2 milhões de empregos. Não há equideocultura sem reprodução, por isso a importância da mesma na criação de equinos.

A espécie equina apresenta algumas peculiaridades em relação às demais espécies domésticas, apresentando baixo índice de fertilidade. Como fatores que corroboram esse fato, pode-se citar a reprodução apenas ao redor dos 3 anos, 11 meses de gestação, apenas um produto por gestação e a ocorrência comum de reabsorção e abortos, ultrapassando 15% em alguns casos.

Veja a programação completa abaixo.

Cartaz A3