Estudantes de Biológicas da UNIFEOB vão a IOUSP de Ubatuba para visita técnica

Estudantes de Biológicas da UNIFEOB vão a IOUSP de Ubatuba para visita técnica

Nos dias 5 e 6 de dezembro, 36 universitários de Biomedicina e Ciências Biológicas da UNIFEOB foram ao Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (IOUSP) de Ubatuba, acompanhados pelas docentes Glaucia Maria Mendes Liberali e Cintia de Lima Rossi. “Lá nos foram apresentados todos os projetos de pesquisa. Também fizemos coletas de organismos marinhos para estudarmos a morfologia, a fisiologia e seu modo de vida”, explica Cíntia. “Por fim, conhecemos o Projeto Tamar, também em Ubatuba”.

A atividade é um complemento ao ensino em sala de aula. “Após a coleta nos costões, na praia e no mar, pudemos estudar a morfologia externa dos organismos”, conta o estudante de Ciências Biológicas, Igor Mistura. “Foi uma experiência maravilhosa estar lá com meus colegas de classe”. Para a professora Cíntia, a viagem permitiu associar a prática de campo à teoria. “Ações como essa engajam os estudantes. Foram momentos únicos que contribuíram com as unidades de estudo de Zoologia, Biologia Aquática, Ecologia de Ambientes Marinhos e Educação Ambiental”.

Visitas técnicas

Mais do que aulas práticas e teóricas, os estudantes da UNIFEOB têm a oportunidade de aprender por meio de visitas técnicas a locais relevantes para cada área de conhecimento. O curso de Ciências Biológicas recentemente fez viagens ao Museu Histórico e Geográfico de Poços de Caldas – MG e à vinícola Casa Geraldo, onde estudaram a fermentação da uva na produção de vinho. “Conhecemos mais áreas de atuação e temos contato com diferentes profissionais e projetos”, diz Igor. “É bom para nossa formação, conhecimento acadêmico e até para unir as turmas”.

IOUSP

O Instituto Oceanográfico é uma instituição pública dedicada ao estudo das Ciências do Mar. Ministra e realiza pesquisas e promove atividades culturais em benefício da sociedade. O objetivo é ser referência na transmissão do conhecimento sobre os oceanos e contribuir para respostas aos problemas de ordem local e global, relacionados ao clima e exploração sustentada dos ecossistemas marinhos.

Projeto Tamar

O Tamar trabalha na pesquisa, proteção e manejo de cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, todas ameaçadas de extinção. O trabalho socioambiental desenvolvido com as comunidades costeiras serve de modelo para outros países. Através de convênios e protocolos de cooperação técnico-científica com universidades brasileiras e estrangeiras, realiza programas de estudos para conhecer melhor o ciclo de vida das tartarugas e priorizar ações que sejam capazes de otimizar esforços para alcançar os resultados de recuperação das populações.