Acontece na Unifeob

Saúde Pélvica e da Mulher: conheça o trabalho da Fisioterapia Unifeob

Professores e estudantes do curso atendem à população gratuitamente na Clínica-Escola da Santa Casa.

O curso de Fisioterapia da Unifeob oferece diversos serviços à população, como reabilitação pós-Covid-19, hidroterapia, atendimentos à Saúde do Trabalhador, cardiopulmonar e neurológico. O objetivo, além de permitir aos estudantes a aplicação dos conhecimentos aprendidos em sala de aula sob orientação dos professores, é garantir à população atendimentos fisioterápicos de excelência com equipamentos de qualidade e as mais modernas técnicas. Entre as várias vertentes da área, destacam-se a Saúde Pélvica e da Mulher.

“Os atendimentos on-line foram a melhor alternativa para manter nossa segurança”, diz a estudante de Fisioterapia, Monike Seeman

“A Fisioterapia acompanha a mulher em todas as fases da sua vida e também os homens na área pélvica”, conta a docente Patrícia Pezzan. “Tanto a Fisioterapia Pélvica quanto a da Saúde da Mulher utilizam recursos manuais, cinesioterapias – que envolvem movimento corporal – e tecnologia; hoje temos utilizado muitos equipamentos para avaliar e tratar disfunções. A Clínica-Escola da Unifeob atende todas essas linhas de trabalho”.

Conheça a reabilitação pós-Covid realizada pela Fisioterapia da Unifeob

No caso da Fisioterapia Pélvica, são atendidos pacientes de ambos os sexos com questões diversas, como incontinência urinária e fecal, constipação intestinal, incoordenações motoras, inflamações, saúde sexual e até questões estéticas. Já na Saúde da Mulher, inclui-se a obstetrícia: os fisioterapeutas atuam no pré-natal e na preparação para o parto natural, ajudam durante o trabalho de parto e também no pós-parto, tanto imediato quanto meses após o nascimento do bebê, inclusive ao acompanhar o aleitamento materno. Além disso, a Fisioterapia está presente em outras fases importantes da vida das mulheres, como o climatério e a menopausa.

A técnica de Enfermagem, Maria de Oliveira, mãe do Isaías, de um mês e duas semanas, pesquisava sobre meios para ter um parto normal bem-sucedido e soube dos atendimentos por uma amiga. “O pessoal foi supersolícito, esclarecendo minhas dúvidas e se disponibilizado não apenas no dia do atendimento, mas sempre que eu precisasse”, lembra. “Meu parto foi com 40 semanas e, desde o momento da internação até o expulsivo, mantive meu corpo ativo fazendo caminhadas, agachamentos, bola e demais técnicas que conheci através da telessaúde. O controle da respiração também foi primordial para manter a calma e me conectar com o processo tão difícil, maravilhoso e único”.

“Preciso me preparar fisicamente e psicologicamente para o grande dia”. Este foi o primeiro pensamento da estudante de Fisioterapia, Monike Seeman, ao saber que estava grávida do filho Lucas. “Os atendimentos on-line foram a melhor alternativa para manter nossa segurança e contribuíram para a preparação do meu corpo e minha mente, com os conselhos e conversas para tirar todas minhas dúvidas. Sou grata à Unifeob, especialmente às professoras Patrícia e Mariana, e a todos os estudantes que, diante de todas as dificuldades, tiveram força, coragem e determinação para realizar os atendimentos”.

Conheça a ginástica laboral da Fisioterapia Unifeob

Serviço

Na Unifeob, é possível agendar atendimentos e avaliações presenciais na Clínica-Escola, localizada na Santa Casa de Misericórdia “Dona Carolina Malheiros”, às quartas-feiras, às 13h30 e às 14h30; e remotos, por meio da telessaúde, prática autorizada pelo Ministério da Saúde realizada por estudantes constantemente monitorados por professores de Fisioterapia, às terças-feiras, às 8h.

“O pessoal foi supersolícito, esclarecendo minhas dúvidas e se disponibilizado não apenas no dia do atendimento, mas sempre que eu precisasse”, diz a técnica de Enfermagem, Maria de Oliveira

É preciso ter uma guia do Sistema Único de Saúde (SUS) ou verificar a disponibilidade diretamente com a professora Patrícia Pezzan, pelo telefone (35) 988 822 022, ou com a preceptora Mariana Pavani, pelo telefone (19) 987 028 563. “E não precisa estar com disfunção para fazer uma consulta, a prevenção e o diagnóstico precoce são a melhor conduta para nossa saúde”, ressalta Patrícia. “Nós vamos avaliar, passar orientações e dar esclarecimentos. Além disso, também pode se consultar quem simplesmente quiser ter mais consciência corporal”.

Campanhas

O curso de Fisioterapia da Unifeob busca conscientizar o maior número possível de pessoas sobre a importância do autoconhecimento. “Nós trabalhamos prevenção, promoção e reabilitação, por isso temos uma campanha muito forte para incentivar a consulta com um fisioterapeuta pélvico uma vez por ano, assim como é feito com ginecologistas e urologistas”, afirma a docente. “Sua musculatura e todo o aparato da coluna relacionada à pelve serão avaliados, você vai aprender a trabalhar esses músculos corretamente e a gente consegue fazer diagnósticos precoces de disfunções e evitar futuros problemas”.

Patrícia aproveita para divulgar as próximas campanhas do curso. “Estamos com alguns projetos em andamento, nós pretendemos fazer orientações, rodas de conversa e palestras para toda comunidade acadêmica”, revela. Ela acrescenta que a orientação sexual não é um fator excludente. “Isso é uma coisa importante. Às vezes mulheres homoafetivas podem pensar que isso não é para elas, mas é sim, também vamos fazer um trabalho para dar assistência especificamente a essa população”.

Compartilhe:
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Recomendados