Reitor da UNIFEOB participa da elaboração de política pública para o Ensino Superior do Brasil

Reitor da UNIFEOB participa da elaboração de política pública para o Ensino Superior do Brasil

O Reitor da UNIFEOB, João Otávio Bastos Junqueira, está entre os oito escolhidos pelo SEMESP (Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior) para a elaboração do documento “Diretrizes de política pública para o Ensino Superior brasileiro”.
Além de João Otávio, também participaram da criação do material Claudio Rama, consultor internacional e ex-diretor da IESALC – UNESCO; Simon Schwartzman, pesquisador do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade do Rio de Janeiro; Liz Reisberg, pesquisadora do Boston Colege e consultora internacional; Sérgio Fiúza de Mello Mendes, Vice-Reitor da CESUPA; Ana Maria Costa de Sousa, assessora da Reitoria da UNICESUMAR; Rodrigo Capelato, diretor executivo do SEMESP e Fábio Reis, diretor de Inovação e Redes do SEMESP.
O texto, que foi anunciado na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, pode ser o primeiro passo para que o Brasil ganhe uma política pública específica para o Ensino Superior nacional (público e particular). Dividido em 11 eixos — governança, regulação e supervisão, avaliação e qualidade, financiamento, pós-graduação e pesquisa, inovação acadêmica, tecnologia e educação digital, formação de professores, relação com outros setores, internacionalização, e formação de redes de cooperação —, o arquivo propõe que seja elaborada uma política nacional para o Ensino Superior e traz uma série de recomendações.
Segundo João Otávio, o objetivo desse documento é que o Brasil passe a ter uma norma estruturante para reger o setor e não fique vulnerável às alterações e oscilações do comando do Poder Executivo. Além disso, diz o Reitor da UNIFEOB, o material servirá para o Ministério da Educação e outros órgãos na elaboração de políticas públicas na área da educação.
Nos dias 17 e 18 de agosto, João Otávio participou em São Paulo de discussões que visam finalizar o documento que será entregue oficialmente ao MEC (Ministério da Educação) e, inclusive, comandou um dos painéis em debate.