Alunos da UNIFEOB participam de debate sobre a questão agrária do Brasil

Alunos da UNIFEOB participam de debate sobre a questão agrária do Brasil

Cerca de 90 alunos de todos os semestres dos cursos de Agronomia, História, Geografia e Direito participaram do debate sobre a questão agrária do Brasil, no prédio F, Campus II da UNIFEOB. Este debate fez parte da disciplina de Sociologia, cooperativismo e extensão rural, ministrada pelo professor Paulo Lazzarini.

Os enfoques foram sobre a contextualização histórica da distribuição de terras no Brasil e um comparativo com outros países tais como EUA, Inglaterra e França. Além disso, foram debatidos temas como o movimento social no campo, a questão da agricultura e industrialização, mão de obra agrícola, terras indígenas e quilombolas e também conflitos rurais.

Para o debate foram convidados professores com conhecimentos tanto na área da agricultura ligada aos agribusiness, compondo o grupo da bancada ruralista, bem como, professor com conhecimentos relacionados à questão agrária e movimentos sociais no campo, compondo a bancada social do debate.

Compuseram a mesa os professores Paulo Lazzarini, do curso de Agronomia, sendo o moderador do debate, além de Ewerton Carvalho (História e Geografia), Maria Luiza Gomes (Direito), Juliana Borsari (Direito), Fernando Cunha (Historiador), Dr. engenheiro agrônomo José Renato Silva Gonçalves (Fazenda Figueira ESALQ/USP Londrina-PR) e o engenheiro agrônomo Tiago Silva (doutorando na Queensland University, na Austrália).

Tiago contou sobre a história da família dele que teve as terras ocupadas por indígenas e também argumentou e se posicionou contra a ocupação e sobre a questão.

A questão agrária no Brasil costuma ser discutida com parcialidade, motivada pela posição política do palestrante, debatedor, moderador e etc… A intenção desse debate em questão era trazer a diversidade figurada, por exemplo, pelo professor Ewerton Carvalho que estudou sobre o movimento social, e, em contraste, o engenheiro agrônomo José Renato Silva Gonçalves, que trabalha numa estação experimental com enfoque na produção de bovinos e com uma abordagem mais relacionada à bancada ruralista.

Isso é importante para a formação da criticidade e poder argumentativo dos alunos da UNIFEOB, uma vez que a questão é abordada em diversas esferas do conhecimento. Algo importante foi a contextualização histórica promovida pela explanação dos professores Ewerton e Fernando, que mostraram as origens do movimento social e sobre a distribuição de terras no Brasil e no mundo.

Já os engenheiros agrônomos comentaram sobre as questões atuais e trouxeram até o debate casos reais de ocupação e conflitos rurais, além de mostrarem dados sobre a questão agrária e se posicionarem contra a forma de como ocorre isso no Brasil.

Para finalizar foi imprescindível a presença das duas professoras do curso de Direito, Maria e Juliana, que trouxeram um pouco da questão legal. De acordo com o discurso delas, é necessário que exista um olhar mais amplo sobre a questão para que não haja unilateralidade nas decisões.

Jornalista: Pedrinho Souza

Colaboração: professor Paulo Lazzarini