Ciências Forenses, com Ricardo Molina na UNIFEOB

Ciências Forenses, com Ricardo Molina na UNIFEOB

Na noite desta quarta-feira, dia 29, o Centro Cultural da UNIFEOB esteve repleto de universitários de diferentes cursos que participaram da palestra “Ciências Forenses”, realizada pelo perito Ricardo Molina. O evento foi organizado pelas coordenações dos Cursos de Ciências Biológicas e Química.

Ricardo Molina é um dos peritos mais conhecidos do país por ter atuado em casos de grande repercussão nacional como: a chacina de Vigário Geral, confrontos entre os bandidos do PCC e a polícia, a morte da menina Eloá, além de escândalos do governo Collor de Melo e de Dilma Rousseff.

O palestrante falou aos estudantes sobre sua trajetória profissional e os casos que mais chamaram a atenção da opinião pública.

Explicou diversas vertentes do trabalho do perito e desmitificou um pouco do imaginário popular sobre este trabalho.

“Perceber o toque contínuo de um relógio ao fundo, comprovando que a gravação não teve cortes. Fazer leitura labial por meio de frames de imagens. Reconstituir a cena de um crime. São muitos e cada vez mais avançados os recursos para o trabalho de um perito, mas a inteligência e a perspicácia também são ingredientes fundamentais para atestar uma suspeita ou negar um fato”, comenta Ricardo.

De acordo com a coordenadora do Curso de Ciências Biológicas, Cintia de Lima Rossi, a proposta da atividade é aproximar os universitários de uma das possíveis áreas de atuação profissional.

Entre os cursos que participaram estavam alunos de Letras, Química, Ciências Biológicas, Matemática, Direito e Administração, além de professores e outros interessados pelo tema.

 

RICARDO MOLINA

Ricardo Molina cursou Engenharia na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mas graduou-se em Música (Composição e Regência) pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde também fez mestrado em Linguística e doutorado em Ciências, tornando-se professor da instituição em 1995. Inicialmente, trabalhou na área de fonética forense, mas expandiu suas áreas de atuação para diversos outros campos periciais. Com 25 anos de atividade profissional, já analisou mais de 2 mil casos.