Como proteger os animais do frio?

Como proteger os animais do frio?

Assim como acontece com os seres humanos, na época de frio é normal o desejo de aquecer nossos amigos de quatro patas. Entretanto, com essa mudança de clima, eles merecem mais atenção e se deve ficar atento para preservar a saúde e o bem-estar do seu amigo. Lembre-se que cães também podem contrair vírus da gripe semelhante a humana, assim como uma bactéria contagiosa que passa de um animal para o outro. Os gatos podem ser contaminados com o vírus da rinotraqueíte, que se assemelham com a gripe humana. Desta forma, a vacinação anual é a melhor forma de prevenir e evitar estes problemas com seu animal.

Além desses cuidados, algumas dicas podem ajudar:

– A tosa do animal deve ser programada para que no inverno tenha uma cobertura adequada de pelos;

– Animais de  pelagem  longa e espessa suportam melhor o clima frio do que raças de pelo curto. Gatos e cães de pequeno porte vão sentir o frio mais cedo do que cães de grande porte;

– Agasalhe os cães mais magros e com pelo curto. Aqueles que possuem pelo mais longo não precisam ser agasalhados;

– Abrigue-o dentro de uma casinha ou canil para que não receba o vento ou chuva diretamente;

– Coloque um revestimento de madeira ou borracha para criar uma cobertura térmica entre o chão e a cama do cachorro;

– Mantenha sempre uma manta quentinha onde o cão possa se aquecer;

– Cuidado com fogo de lareiras ou aquecedores e mantenha sempre uma proteção com grade para evitar acidentes;

– Cuidado quando for sair com o seu carro. Os gatos adoram buscar lugares quentinhos como pneus e motores. Sempre faça barulho para que eles saiam de onde estão e não se machuquem;

– Animais que não estão de boa saúde não devem ser expostos sequer ao clima  frio. Animais muito jovens e muito velhos são vulneráveis ​​ao frio também.

– Devemos ter extremo cuidado com animais idosos durante o inverno. O frio pode deixar as articulações extremamente rígidas e eles podem se tornar mais doloridos do que o habitual. Cuidado com escadas, a mudança de ambiente pode facilitar seu deslocamento pela casa;

– O estado de saúde do seu animal de estimação também afetará quanto tempo ele pode ficar no exterior. Patologias como diabetes, doenças cardíacas, doenças renais e desequilíbrios hormonais podem comprometer a capacidade de um animal de estimação em regular o seu calor corporal;

– Não se esqueça de dar todas as vacinas obrigatórias para prevenir doenças como a cinomose que costuma se proliferar durante o inverno.

Texto: Professora Priscila Carvalho de Oliveira, supervisora Clínica Hospital Veterinário “Vicente Borelli”.